Skip to main content
iMusician logo
Todos os guias

2. Como ganhar dinheiro com a Deezer?

Fundo colorido com dinheiro

O sucesso no meio musical não acontece da noite para o dia, na verdade, é preciso se dedicar e trabalhar bastante para chegar lá. Se você quer ganhar a vida com música, é importante sempre lançar novidades para criar e aumentar sua base de fãs.

Por sorte, nos dias de hoje, se você não tem um contrato com uma grande gravadora, as plataformas de streaming são o caminho mais fácil e acessível para ganhar dinheiro com a sua música. Pode levar algum tempo para receber o primeiro retorno do investimento que foi feito, mas com o marketing, a estratégia de lançamento e a campanha de relações públicas certas, você alcançará seus objetivos. Neste capítulo, vamos falar mais sobre royalties e como os processos de pagamento da Deezer são diferentes em relação aos seus concorrentes.

2.1. Qual é a diferença entre royalties mecânicos, royalties de performance e streams?

A indústria da música mudou bastante nas últimas décadas. Se você quer saber como ganhar dinheiro com a Deezer, vai precisar entender como o dinheiro é pago atualmente na indústria da música. Existem duas fontes principais de renda disponíveis na plataforma:

  • Royalties dos direitos de propriedade em que a renda vem dos streams. Se você mesmo lançar suas músicas, os royalties serão transferidos diretamente para o seu distribuidor de música digital.
  • Receita proveniente de direitos de reprodução ou reprodução mecânica paga ao letrista, compositor e editor de cada música por meio de agências de arrecadação (essas agências também são conhecidas como organizações de direitos autorais), — como a SACEM (FR), PRS (Reino Unido), BMI (EUA), ASCAP (EUA), GEMA (AL), SGAE (ES) ou SUISA, ECAD (BR). No passado, isso vinha da venda de gravações físicas, mas hoje em dia streams privados também são incluídos. Se você não tem certeza quais são as agências de arrecadação em seu país, confira esta lista de organizações internacionais de cobrança.

O lado comercial da indústria da música pode ser algo complicado de entender. Como você fica sabendo se tem algum dinheiro a receber? Vamos pegar o exemplo de "I Will Always Love You", um grande sucesso na voz de Whitney Houston. Whitney gravou a música com a Sony Music, sua gravadora que detém os direitos de masterização e, portanto, recebe os royalties pelos streams da música. Da mesma forma, Dolly Parton, que foi a compositora e letrista, recebe os royalties de performances mecânicas e públicas através de sua agência de arrecadação ou editora.

Se você lança sua própria música e escreve o material, você é a gravadora/selo e o/a compositor/a. Isso significa que você detém, respectivamente, os direitos principais e os direitos mecânicos/de execução. Portanto, você deve receber royalties de ambas as fontes. Obviamente, se você faz parte de uma banda, o ideal é que vocês definam como os royalties vão ser divididos antes de lançar qualquer coisa. Se sua música foi lançada por uma gravadora, eles podem possuir os direitos de propriedade e, assim, receber os royalties que você ganha da Deezer, Apple Music, Amazon e Spotify e de qualquer outra plataforma. Normalmente, se você é compositor, arranjador ou letrista, receberá os direitos mecânicos e de execução da sua empresa de cobrança.

Em alguns países, plataformas como a Deezer precisam atribuir parte de suas receitas diretamente às agências de arrecadação, como a SACEM na França ou a GEMA na Alemanha.

Mas o que acontece com as taxas cobradas pelas agências de arrecadação? Juntamente com outras receitas de, por exemplo, peças de rádio e TV, elas acabam na conta das respectivas empresas. Novamente, isso é sem os custos do processamento incorridos pelas agência.

Há dois tipos diferentes de rendas: taxas de performance e taxas de reprodução mecânica.

As taxas de performance incluem todas as receitas provenientes do uso público da música. Isso inclui tocar a música em uma estação de rádio, em um restaurante ou em um bar. E, é claro, os organizadores de evento também devem pagar taxas às organizações de direitos de execução pelas apresentações ao vivo.

Ser ou não ser associado a uma agência de arrecadação depende em grande parte da sua renda esperada e de fazer sentido para você. Em alguns países, para fazer parte de uma sociedade, você deve pagar uma taxa de assinatura anual. Uma assinatura vale especialmente a pena se você espera que sua música seja tocada muitas vezes na rádio, seja reproduzida nas plataformas de streaming com frequência, se o seu videoclipe for exibido na televisão ou se você tiver agendado algumas apresentações ao vivo.

O valor pago ao compositor, ao letrista ou ao editor de uma música, por minuto e por stream, varia de país para país. Algumas agências de arrecadação como a STIM na Suécia, por exemplo, oferecem informações relativamente detalhadas.

Independentemente do país de origem, você pode escolher a agência de arrecadação que você prefere se associar. Leia as condições de cada agência (especialmente os custos de transferência entre as empresas, taxas de assinatura, etc.) e escolha a melhor para você.

Veja este exemplo: se você é um músico norte-americano que viaja pela Europa e sua música toca na rádio britânica BBC Radio 1, considere ingressar na BMI ou na ASCAP para cobrir os EUA e na PRS para cobrir o Reino Unido. Isso vai fazer com que você receba seu dinheiro mais rapidamente com as vendas europeias e com as músicas tocadas na rádio.

2.2. Como Deezer pagar os artistas?

Como a maioria das plataformas de streaming, a Deezer não paga diretamente aos artistas pelos seus respectivos streams. Assim como os músicos usam o serviço de um distribuidor de música digital para publicar os seus trabalhos na plataforma, o pagamento é feito através do distribuidor.

Deezer vai transferir a receita para os distribuidores de música aproximadamente de três a quatro meses após a música ter sido executada na plataforma. No iMusician, você pode transferir o seu dinheiro a qualquer momento, diretamente para a sua conta PayPal ou bancária, sem que seja necessário um pagamento mínimo.

Se você tem uma conta no Deezer Backstage, — o que é altamente recomendado — você também tem acesso ao números de streams. Um stream é válido se uma faixa tiver sido ouvida por 30 segundos ou mais. Tudo abaixo desse tempo não é contado.

2.3. Quanto Deezer paga aos artistas?

Até o momento em que escrevemos este guia, a Deezer, assim como as outras plataformas de streaming, calcula os pagamentos dos artistas com base no modelo de fatia de mercado. Isso significa que os artistas são pagos de acordo com a proporção representada por seus streams do total combinado a cada mês. O pagamento também leva em consideração a contagem mensal do total de músicas reproduzidas na plataforma, o total de ouvintes no plano grátis, que recebe o suporte de anúncios, e o total de assinaturas pagas.

Deezer criou este gráfico para mostrar como funcionam os pagamentos do modelo de fatia de mercado. Nesse cenário, existem dois artistas e dois usuários, Ambre e Sasha. O artista 1 é ouvido 90 vezes (provenientes de Amber) e o artista 2 é ouvido 10 vezes (provenientes de Sasha). Embora cada usuário pague o mesmo valor da taxa de assinatura, a receita das músicas que eles escutam não vão diretamente para os artistas dos quais estejam, de fato, fazendo streaming. Em vez disso, a receita proveniente dos streams é colocada em um conjunto e dividida pela proporção de reproduções na plataforma, menos os custos de operação da Deezer. Isso significa que apenas uma fração da taxa de Sasha vai para o Artista 2.

Quatro círculos com imagens e o Logo Deezer

Como o sistema não se baseia no que o ouvinte coloca pra tocar, isso faz com que os artistas e os gêneros de música mais comerciais tenham vantagem em relação aos artistas e bandas menores e independentes. Como você pode ver no exemplo acima, devido ao modelo de fatia de mercado, os streams dos fãs desses artistas não apoiam diretamente a diversidade de artistas e gêneros que eles estão ouvindo.

No entanto, a Deezer quer dar uma chacoalhada no mercado com o novo modelo de pagamento chamado sistema de pagamento centrado no usuário (UCPS). Esse modelo paga o artista e as gravadoras ou selos de acordo com o que os usuários realmente colocam para tocar e não apenas na proporção de streams em relação ao total de músicas reproduzidas. Uma notícia muito boa para os artistas independentes. Quer saber mais sobre isso? Continue por aqui.

2.4. O que é o sistema de pagamento centrado no usuário?

Como mencionado na seção anterior, a Deezer quer se afastar do atual modelo de pagamento de "fatia de mercado" para reduzir as diferenças de receita decorrentes de antigos modos de pensar a economia no universo da música digital. Para combater essas diferenças de receita, a empresa está trabalhando em um sistema de pagamento centrado no usuário. Esse modelo de pagamento é único porque paga aos músicos aquilo que os ouvintes realmente reproduzem. O modelo de pagamento de fatia de mercado paga com base na proporção de streams de toda a plataforma e o resultado é um modelo injusto para artistas menores. Por estar ligado diretamente às reproduções realizadas, o modelo UCPS deve aumentar a receita de artistas e selos independentes.

Ao revisitar o cenário do capítulo anterior, vemos os mesmos dois artistas e os mesmos dois usuários, Ambre e Sasha. Nesse cenário, no entanto, você pode ver que todas as taxas de assinatura dos usuários vão diretamente para os artistas que eles escutam. Isso significa que o Artista 2 recebe toda a taxa de assinatura de Sasha, menos os custos operacionais da Deezer. E, embora o artista 1 obtenha menos do que ela obteve no modelo de participação no mercado, é uma divisão mais igualitária, o que significa que artistas independentes vão receber mais por suas músicas.

Quatro círculos com imagens e o Logo Deezer

No início de 2020, a plataforma começou a testar esse modelo de pagamento na França. Depois de concluir os testes, eles planejam estender o modelo pelos 180 países onde a plataforma está disponível. Como esse novo modelo de pagamento significa uma mudança para todas as entidades envolvidas (gravadoras, distribuidores, artistas, editores etc.), a empresa está trabalhando com cuidado para encontrar um equilíbrio que beneficie a todos.

Resumindo: um modelo de pagamento centrado no usuário criará um sistema de pagamento mais lucrativo para diversos artistas e gêneros locais e internacionais. O UCPS também vai permitir que os fãs contribuam diretamente para os artistas e músicos que eles gostam de ouvir — ótimas notícias tanto para os artistas como para os fãs.

2.5. Por que você precisa de um distribuidor para receber seu dinheiro da Deezer?

Como mencionado anteriormente neste capítulo, a Deezer não permite que artistas ou selos façam o upload de suas músicas diretamente na plataforma. Isso garante que um determinado padrão seja atendido, resultando em um conteúdo de alta qualidade para os usuários. Assim como você não pode enviar suas músicas para a plataforma, você também não pode receber seu dinheiro diretamente da empresa. É aí que entra o seu distribuidor de música digital. No iMusician, seus lançamentos vão passar por uma equipe que vai garantir a qualidade do seu trabalho para ter a certeza de que suas músicas, ilustrações, arquivos de áudio e metadados atendam aos padrões e regras de cada plataforma de streaming e download. Também nos certificamos que você receba a receita de suas vendas e streams — geralmente após três ou quatro meses de cada reprodução. A boa notícia é que com o iMusician, você pode transferir seus pagamentos diretamente para sua conta bancária ou PayPal, independentemente de quanto tiver em ganhos.

2.6. Posso pagar por mais streams na Deezer?

Existem empresas on-line que se oferecem para impulsionar seus streams mediante uma taxa. Uma vez que seu pagamento seja liberado, eles reproduzem suas faixas (geralmente por pouco mais de 30 segundos) através de um programa de computador ou robô. A ideia é que você obtenha mais ganhos, suba no algoritmo das plataformas e conquiste mais fãs. Embora possa parecer promissor, é 100% ilegal.

Assim como em qualquer outra plataforma de streaming digital, você nunca deve pagar para impulsionar streams ou visualizações. Pagar por streams é fraude. Se a Deezer detectar qualquer atividade de streaming incomum ou aleatória, é provável que ele faça uma pausa ou apague qualquer lançamento que ele considere suspeito. Como o Spotify, o YouTube, e o Google Play, Deezer tem equipes especializadas que verificam este tipo de atividade ilegal. No mínimo, suas músicas vão ser retiradas da plataforma. Mas cuidado, as consequências podem ser muito piores. Se você for pego, não só perderá todo o dinheiro ganho com as reproduções como terá a sua música retirada da plataforma ou, ainda pior, poderá passar um tempo na cadeia.

É claro que se você colocar seu álbum pra tocar algumas vezes ao dia, não terá problemas. Se você quiser aumentar um pouco a sua renda, peça aos seus amigos e familiares que deem play no seu disco o máximo de vezes que puderem.

Compartilhe este guia no
Newsletter iMusician

Fique por dentro das novidades

Fique em dia com as últimas notícias, dicas, macetes e informações sobre o mundo da música. Tudo o que você precisa para expandir seu cerreira musical direto no seu email.

Loading...